Categorias

24 de jun de 2017

Ele conta o seu lado da história como uma poesia

Não posso dizer o que realmente é
Só posso dizer como é a sensação
E agora há uma faca de aço
Na minha traqueia
Não consigo respirar, mas ainda luto
Enquanto puder lutar
Desde que o errado pareça certo
É como se eu estivesse em voo

Dopado de amor
Bêbado do meu ódio
É como se eu estivesse cheirando tinta
E eu adoro, quanto mais eu sofro
Eu me sufoco e assim
Que estou prestes a me afogar
Ela me ressuscita
Ela me odeia pra caralho
E eu adoro isso, espere

Ele: - Aonde você vai?
Ela: - Estou deixando você
Ele: - Não, não está Volte aqui!

Estamos correndo de volta
Aqui vamos nós outra vez
É tão insano
Porque quando está bom
Está ótimo
Eu sou o Super-Homem
Com o vento em suas costas
Ela é a Lois Lane

Mas quando está ruim
Está horrível
Sinto tanta vergonha
Eu enlouqueço
Quem é esse cara?
Eu nem sei o nome dele
Eu desci o braço nela
Eu nunca vou me rebaixar tanto de novo
Acho que desconheço a minha própria força

Você já amou tanto uma pessoa
Que você mal consegue respirar?
Quando você está com ela, vocês se encontram
E nem um de vocês faz ideia do que os atingiu
Estou com aquela sensação aconchegante
Sim, os arrepios
Eu costumava tê-los

Agora você está ficando de saco cheio
De olhar para ela
Você jurou que nunca bateria nela
Nunca faria nada para prejudicá-la
Agora vocês estão de cara a cara
Cuspindo veneno e estas palavras
Quando você as cospe, você empurra
E puxam o cabelo um do outro

Arranha, garras, morde ela
Atira ela no chão
Segura ela no chão
Completamente perdidos nos momentos
Quando você está neles
É o ódio que toma conta
Controla vocês dois
Então ela diz que é melhor
Cada um ir para o seu lado

Acho que ela não conhece você até hoje
Isso foi ontem
Ontem acabou
É um dia diferente
Você parece uma vitrola quebrada
Tocando a mesma coisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário