31 de mar de 2015

Santa Chuva

       Dormir e acordar ao lado do meu melhor amigo. Eu acho INCRÍVEL. Passar o dia contando as horas com medo de que acabe. Vem na minha, eu sou louca mas nunca te magoaria. Juntos fizemos o de sempre.

       Então eu subi, e os carreguei comigo. Pra'quele lugar que eu gosto tanto. EUFÓRICA!

       Será que gostaram do meu presente? NEURÓTICA - será que desejam estar aqui com outra pessoa que não eu? Mas as crises passam - e no fundo eu gosto. Sou eu. E do alto vimos o mundo do tamanho que ele tem. A câmera superficializa a beleza que só se enxerga com o peito. Mas quem viu, viu. SENTIU, RESPIROU, TRAGOU, AMOU, CRESCEU.


       Eu vi a chuva chegando, de mansinho. O povo já se cansou de tanto o céu desabar. Sim, cansamos! Pedi à Deus que essa chuva não me trouxesse ninguém. Pois já chove muito em casa, não aguento mais secar onde meu pai molha.

       Parei de pensar no Marcelo Camelo e a chuva santificou. Criou auréola e soprou A CURA - banho de chuva lava a alma e esfria a cabeça. Eu vi a chuva cair em cores, aquarelando minha VIDA ABSTRATA. Os pingos de tinta do ateliê de Deus soavam notas planetárias sobre mim. Eu ouvi Vênus, Saturno, Marte, Mercúrio, em um-dois-três tons. Eu pensei na vida.

2 comentários:

  1. Gabriel Maia1/2/15 14:07

    Sobre; "será que gostaram", claro que sim. Conhecer um pouco mais de você, é um presente sem igual. Dividir seus lugares, seus gostos, seus medos, seus problemas e vitórias, são o que compõem essa bela estrada que é o amor.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/5/16 13:32

    Nossos momentos são únicos e sem igual. Mágicos, abstratos e extraordinários

    ResponderExcluir